Nelson Pereira dos Santos

0

Fonte Imagem: ABL

Nelson Pereira dos Santos, considerado um dos mais importantes e inovadores cineastas do Brasil, foi diretor, produtor, roteirista, montador, ator e professor.

Nasceu em São Paulo em 22 de outubro de 1928 e morreu em 21 de abril de 2018.

Formou-se bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da USP em 1953.

Já em 1946, começou seu trabalho na imprensa como revisor no Diário da Noite de São Paulo e posteriormente foi redator no Diário Carioca (1956-1958) e no Jornal do Brasil (1958-1969).

Viajou a Paris por dois meses em 1950, onde conheceu o cineasta Joris Ivens (1898-1989).

Ao retornar ao Brasil, realizou seu primeiro filme, Juventude, documentário de 45 minutos, sobre os trabalhadores jovens da cidade de São Paulo.

Trabalhou como assistente de direção nos primeiros anos da década de 1950.

Em Rio, 40 Graus, seu primeiro longa metragem, realizado em 1955, Nelson Pereira dos Santos usou as ferramentas do neorrealismo italiano, movimento que defendia a utilização de atores não profissionais e locações reais fora dos estúdios.

Sua obra está focada nas questões sociais e na sobriedade das cenas, sua câmera estuda e expõe os dramas e contradições da cidade e de seus personagens. Muitos filmes foram baseados em clássicos da literatura brasileira, por exemplo: Vidas Secas e Memórias do Cárcere, de Graciliano Ramos; Tenda dos Milagres e Jubiabá, de Jorge Amado; Casa Grande e Senzala de Gilberto Freyre; O Alienista de Machado de Assis.

Vidas Secas é reconhecido como obra-prima e, em 1964, recebeu o prêmio do Office Catholique de Cinéma (Ocic) no festival de Cannes. Segundo o crítico literário Otto Maria Carpeaux (1900-1978), o mundo árido do sertão nordestino é fixado e estabilizado nas imagens. E isso é percebido através dos poucos movimentos da câmera e da fala concisa dos personagens.

Em sua trajetória no cinema, alternou temáticas urbanas e rurais e muito refletiu sobre a cultura popular brasileira em seus dramas sociais.  Ele se estendeu por vários estilos, do neo-realismo à experimentação não naturalista.

Nelson Pereira dos Santos foi um dos precursores do movimento do Cinema Novo, corrente que quis mostrar a realidade do Brasil, juntamente com Glauber Rocha, Cacá Diegues, Joaquim Pedro de Andrade e Paulo César Saraceni.

Sua última realização no cinema foi o documentário A Música Segundo Tom Jobim (2011), onde, ao contrário do método tradicional de entrevistas, fez a música propriamente dita falar pelo compositor durante o filme.

Em 2006, foi eleito para a Academia Brasileira de Letras (ABL), tornando-se o primeiro cineasta a fazer parte dela.

Com sua morte, o cinema brasileiro perde uma de suas grandes referências.

Nelson Pereira dos Santos mostrou que é possível fazer um bom cinema no Brasil, com o domínio da linguagem cinematográfica universal e mantendo a fidelidade às nossas origens culturais.

Filmografia
1949 – Juventude (documentário)
1955 – Rio, 40 Graus
1957 – Rio, Zona Norte
1961 – Mandacaru Vermelho
1962 – Boca de Ouro
1963 – Vidas Secas
1967 – El Justicero
1968 – Fome de Amor
1970 – Azyllo Muito Louco
1971 – Como Era Gostoso o Meu Francês
1972 – Quem é Beta?
1974 – O amuleto de Ogum
1977 – Tenda dos Milagres
1980 – Na Estrada da Vida com Milionário & José Rico
1982 – Missa do Galo (curta-metragem)
1984 – Memórias do Cárcere
1987 – Jubiabá
1994 – A Terceira Margem do Rio
1995 – Cinema de Lágrimas
1998 – Guerra e Liberdade – Castro Alves em São Paulo
2000 – Casa Grande & Senzala (série documental para TV)
2001 – Meu Cumpadre Zé Keti (curta-metragem)
2004 – Raízes do Brasil (documentário)
2006 – Brasília 18%
2009 – Português, a Língua do Brasil (documentário)
2012 – A Música segundo Tom Jobim (documentário)
2012 – A Luz do Tom (documentário)

Fontes:
http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa370579/nelson-pereira-dos-santos
-https://brasil.elpais.com/brasil/2018/04/23/cultura/1524475481_194922.html
http://biografiaecuriosidade.blogspot.com.br/2016/02/biografia-de-nelson-pereira-dos-santos.html
http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/biografias/nelson_pereira_dos_santos

Patrícia Rati

Compartilhar.